Categorias
Gestão de Pessoas

Gerenciando equipes: como não afundar seu navio!

Seguindo a metáfora de líder equivalente a um capitão, falaremos sobre estratégias para não afundar o seu navio, sua equipe ou sua empresa. Eu, enquanto Líder de Projetos da AD&M, tive a oportunidade de gerenciar diversos projetos de consultoria, com diferentes equipes e enfrentando diversos desafios. E até o momento, pude extrair alguns aprendizados sobre liderança que me impactaram como pessoa e profissional. Gostaria de compartilhar alguns deles:

 

imagem21 Gerenciando equipes: como não afundar seu navio!

A importância do autoconhecimento

É básico entender quais são os seus próprios pontos fortes e fracos antes de tentar desenvolver ou guiar seus liderados. Recentemente me deparei com um gap em uma de minhas equipes.  Porém, percebi que eu mesmo não era destaque em tal competência.

Assim, para auxiliar o consultor à atingi-la, decidi trabalhar em paralelo para desenvolvermos o mesmo ponto. Aprendi que quanto maior o autoconhecimento de um líder, mais apto ele se torna a desenvolver os outros.

 

imagem3 Gerenciando equipes: como não afundar seu navio!Comunicação é tudo!

Uma boa comunicação interna é fundamental para qualquer gerenciamento. Por isso, é papel de um líder estruturar e incentivar uma comunicação fluida e transparente em suas equipes.

Equipes em que tive mais efetividade na comunicação obtiveram resultados melhores, já que me permitiram uma passagem de feedbacks mais clara, tomada de decisão mais ágil e até a antecipação de cenários.

 

imagem4 Gerenciando equipes: como não afundar seu navio!

Para adquirir abertura você deve se mostrar aberto

A abertura é um pressuposto para desenvolver uma boa comunicação e se mostra fundamental para trabalhar a liderança no estilo de coaching, como visto no texto anterior, uma vez que se torna  necessário desenvolver empatia com sua equipe. E para desenvolver os pontos desejados, que jeito melhor do que o exemplo?

 

imagem8 Gerenciando equipes: como não afundar seu navio!

Entenda e divida as parcelas de responsabilidade

Como líder, sua parcela de responsabilidade sobre desempenho de suas equipes é sempre maior, já que é seu papel saber e enxergar o que se passa tanto internamente quanto externamente.

Mas ao mesmo tempo, deve-se dividir essa responsabilidade com suas equipes, alinhando-as sobre os resultados e questionando-as sobre a sua participação no desempenho obtido, para que assim todos trabalhem para o mesmo propósito.

Tal ponto é válido não só para os fracassos, em que devemos admitir as falhas e refletir sobre aprendizados, mas também para os sucessos, valorizando os desafios superados em conjunto e reconhecendo os que mais se destacaram.

 

imagem6 Gerenciando equipes: como não afundar seu navio!

Sempre em frente!

Ao encarar um grande desafio, o desejo de voltar para a zona de conforto é sempre muito grande. Este hino deixa para trás o conforto do passado e almeja os desafios do presente. Isso nos mantém na caminhada em busca de resultados maiores e melhores.

Um líder de sucesso deve conseguir motivar suas equipes para que ultrapassem desafios em conjunto e alcancem grandes resultados ou grandes lições, relembrando-os sempre do foco a ser alcançado.

 

imagem7 Gerenciando equipes: como não afundar seu navio!

Menos é mais!

E por fim, um dos meus lemas favoritos. Soluções simples normalmente são as mais transformadoras para solucionar problemas. Um exemplo recente foi um de meus projetos, cuja mudança de plataforma de apresentação transformou clientes apáticos em super engajados.

Notei que é comum tentarmos tapar buracos de uma caixa toda furada, mas a solução mais simples seria apenas olhar fora dela. E assim concluí que um líder deve conseguir com sua visão holística perceber as pequenas mudanças que podem ser realmente transformadoras.

 

Na AD&M temos um Escritório de Projetos formado por líderes responsáveis por acompanhar a motivação e a produtividades dos consultores em seus projetos, auxiliando no desenvolvimento dos membros e garantindo a qualidade de nossos projetos e a geração de valor para nossos clientes.

Para isso, nossos líderes passam por um treinamento com metodologias e dinâmicas, vivenciando na prática situações que trabalham os pontos citados acima. Não é a toa que planejamento e treinamentos são tão importantes para manter seu barco na superfície.

Já temos experiência com esse tipo de planejamento e podemos ajudar empresas a manterem a motivação, a produtividade e a qualidade na prestação dos serviços ou venda de produtos. Para saber mais, clique abaixo:

capturar1 Gerenciando equipes: como não afundar seu navio!

 

Criador: Eduardo Damico
Atualizado por: Ana Monclair

Conheça o trabalho do Eduardo clicando aqui!

Quer saber que tipo de líder você é? Confira aqui!

Categorias
Gestão de Pessoas

PROCESSO SELETIVO: descubra tudo que você precisa saber sobre!

capturar21 PROCESSO SELETIVO: descubra tudo que você precisa saber sobre!

O objetivo de toda organização que é ou deseja ser competitiva no mundo dos negócios é ter sucesso, diferenciais e permanência no mercado. Atualmente, existem diversas inovações e tecnologias comuns em um mesmo nicho mercadológico; porém, existe um fator diferenciador e de difícil imitação em empresas que se destacam: suas pessoas.

A busca pelos melhores talentos para uma organização é realizada através do processo seletivo, uma das mais importantes atividades de uma Gestão de Pessoas estratégica. O RH deve estar sempre atento às rápidas e constantes mudanças na realidade empresarial, que é sempre competitiva e demanda das organizações um alinhamento entre comunicação, posicionamento e estratégias de alcance do perfil ideal de público, não diferindo quando falamos em recrutamento e seleção de pessoas.

Para alcançar um quadro de pessoal que compartilha valores, compra a ideia de uma organização e entende que o seu resultado é o da empresa, é necessário contar com um processo seletivo estratégico, que não será finalizado com a contratação de uma nova pessoa, mas sim com a seleção de um talento que gerará frutos para uma organização com a sua capacidade de inovação, tomada de decisão e trabalho em conjunto, por exemplo.

Recrutamento e seleção são as duas etapas que englobam esse processo. A primeira diz respeito à criação de um perfil com as competências fundamentais para a empresa, alinhadas à vaga referente ao processo, bem como a criação de estratégias e meios para o alcance de candidatos que atendam às delimitações.

Três dicas para realizar bem um recrutamento são:

  • Adequar a linguagem e o canal de anúncio da vaga ao público que deseja alcançar;
    • Para atingir candidatos alinhados a uma vaga de estágio, por exemplo, a comunicação deve ser menos formal e técnica.
  • Ser transparente em relação às atividades do cargo para o qual se está recrutando;
  • Preparar o responsável pelo recrutamento sobre todos os detalhes da vaga;
    • Geralmente os candidatos possuem muitas dúvidas e desejam saber mais sobre a vaga ou a organização; por isso, a pessoa que será o canal entre a empresa e candidato deve estar a par de toda a realidade do processo seletivo, representando bem a marca naquele momento.

Com esses passos, candidatos alinhados ao perfil da vaga chegarão e, após uma triagem de perfis ou currículos, participarão de uma seleção para tornarem-se parte da equipe de uma empresa, iniciando, assim, o segundo e crucial momento do processo seletivo.

Para essa etapa, também existem três passos simples a serem seguidos:

  • Delimitar o melhor meio de avaliar os requisitos para a seleção;
    • Muitas vezes as competências ou características essenciais de cada cargo não conseguem ser avaliados somente em entrevistas tradicionais. Dinâmicas e simulações, por exemplo, são ótimos meios para avaliar candidatos para vagas que englobam atividades mais práticas que teóricas.
  • Em conjunto com a primeira dica, pensar em tudo que pode ser avaliado no processo seletivo e delimitar meios de avaliação que abarquem as principais atividades que o cargo pede;
    • Destrinchar a fase de seleção em etapas pode ajudar a triar candidatos mais preparados para a vaga. Isso pode ser feito através de dinâmicas, provas técnicas e, por fim, entrevistas. Dessa maneira, obtém-se maior embasamento e assertividade para a tomada de decisão da melhor pessoa para a vaga.
  • Estabelecer critérios para todos os processos seletivos da sua organização serem homogêneos;
    • Candidatos que chegam através de indicações, por exemplo, devem passar pelo mesmo processo que outros candidatos. Isso garante que a pessoa realmente possui todas as características e competências essenciais à vaga e previnem resultados ruins no futuro, que poderiam ter sido avaliados na etapa de seleção.

Por fim, com o candidato selecionado, a empresa terá alguém realmente alinhado à sua cultura e com as atividades que serão desempenhadas. Com pessoas preparadas, vem a base para o destaque no mercado e, também, a possibilidade de melhorias internas na organização, como inovação em procedimentos. Para auxiliá-lo em todas essas etapas, nós, da AD&M, possuímos o conhecimento necessário.

Em nossos projetos em Gestão de Pessoas buscamos auxiliar os clientes a compreender melhor a sua realidade organizacional, bem como o que é importante para a sua empresa no momento, para que seja possível oferecermos a melhor solução de acordo com cada contexto, visando mais e melhores resultados para o seu negócio.

Compreendemos a particularidade de cada organização e a dificuldade em delimitar o em que é melhor investir no momento. Por isso, estamos sempre buscando o aperfeiçoamento para garantir os melhores conhecimentos, visando gerar valor e aumentar a qualidade do negócio de um cliente, incluindo a realização de projetos tão estratégicos como um Processo Seletivo.

Então, se você entende a importância e gostaria de direcionamentos para um bom Processo Seletivo, é só clicar aqui:

capturar31 PROCESSO SELETIVO: descubra tudo que você precisa saber sobre!

Criadora: Gabriela Villar
Atualizado por: Ana Monclair

Conheça o trabalho da Gabriela clicando aqui: