Categorias
Gestão de Pessoas

Descubra por que o Feedback negativo NÃO existe!

Provavelmente você já deve ter experienciado a seguinte cena: uma pessoa te chama para conversar sobre o trabalho, começa elogiando suas entregas, depois diz que vai passar um feedback – você já imagina que não vai ser algo bom -, fala que não gostou de alguma falha sua, e por fim elogia sua roupa, seu cabelo, algum comportamento e etc.

Esse é o princípio básico do que chamamos de “Feedback Sanduíche”, pois é composto pelo que chamam de “Feedback Positivo + Feedback Negativo + Feedback Positivo”, formando assim uma interposição de camadas de feeds que resultem sempre em um feed “positivo” ao final.

Se você já fez trabalho em grupo, já participou de algum projeto, estagia ou trabalha em algum lugar, provavelmente já deve ter passado por isso. Mas por que nos incomodamos tanto com esses feedbacks?

Acontece que apesar do “Feedback Sanduíche” tentar amenizar a situação e deixar o clima mais leve, ele pode diminuir a urgência da mensagem. Além disso, pode provocar confusão, do tipo “Essa pessoa gostou ou não do que eu fiz?” dificultando que a ação negativa seja reprimida. Além disso, ele impede que o reconhecimento ou a mudança sejam feitos no timing certo. Devemos reconhecer nas hora que se precisa reconhecer e promover mudanças, na hora que se precisa modificar uma realidade. Cada um tem seu momento, fazer os dois ao mesmo tempo pode trazer a sensação de que algum dos dois é falso.

Fora isso, existe mais um equívoco na situação exemplificada acima. Conseguiu identificar? É o uso de elementos pessoais na conversa através dos elogios, que são diferentes de reconhecimentos.

O reconhecimento sempre gira em torno de comportamentos profissionais que o indivíduo demonstrou, que contribuíram para o ambiente de trabalho. Por isso, está sempre atrelado ao Reforço Positivo (termo emprestado da Psicologia Behaviorista de Skinner), ou seja, algo  que se transforma em estímulo para que seja sempre realizado.

Em contraposição, o que os elogios pessoais poderiam trazer? Confusão. Se o elogio é para as roupas, a pessoa passa a se vestir da mesma forma; Se o elogio é para o cabelo, ela começa a arrumá-lo da mesma forma; Se o elogio é para o sorriso ou a presença, ela passa a se pressionar para sempre se apresentar assim. Talvez esses elogios auxiliem na afinidade entre o ouvinte e as pessoas que fazem os elogios, mas a não ser que esses elementos sejam importantes para a empresa (casos de cargos comerciais, ou que trabalhem com mídias para o público…) de que forma isso auxiliaria na produtividade, autonomia ou no foco em resultados?

De que forma?

Forma é a chave!

Como dizia McLuhan (1974), educador e filósofo, “O meio é a mensagem”!

Essa é uma das máximas que mais ecoam nas teorias da Comunicação. E como falar de Feedback sem falar de Comunicação?

Segundo o consagrado McLuhan, a forma com que a mensagem é transmitida também faz parte da própria mensagem (por vezes até a ofusca), pois a forma também informa. A forma com que nos comunicamos também comunica.

Para ficar mais palpável é só imaginar as seguintes situações:

  1. Uma pessoa lhe dá um forte aperto de mão, sorri e lhe diz: “Boa sorte!”

Qual é a sensação? De confiança ou esperança, correto?

  1. Uma pessoa cruza os braços, franze as sobrancelhas e lhe diz: “Boa sorte!”

Muito pior não é? A sensação é de deboche, desconfiança, raiva e assim por diante,

As mesmas palavras foram utilizadas. A diferença está na forma, ou seja no meio. Sendo assim, é extremamente importante definir qual meio comunica a mensagem da maneira que você deseja que seja compreendida, pois receptor e emissor têm experiências de compreensão do mundo diferentes.

Luhmann (1971), traz o termo “Sistema Autopoiético”, que significa “Sistema de autocriação”. A Teoria dos Sistemas de Luhmann defende que as organizações, ou até simples reuniões de pessoas, são Sistemas Sociais (com agentes internos e externos) que se bastam, mas que, como células, se relacionam o meio externo através de trocas.

Feedback é troca, Feedback é retroalimentação. Receber um Feed é alimentar-se de algo diferente/novo que seja externo para contribuir com o interno, e assim adaptar-se ao meio.

Se o objetivo do feedback é sempre contribuir, então pode-se dizer que todo Feedback é positivo.

Sendo assim, toda vez que você precisar passar um feedback, pense no desenvolvimento positivo que aquilo precisa trazer para o receptor, que em consequência trará sempre algo positivo para o projeto/trabalho/empresa. imagem-blog-22-11 Descubra por que o Feedback negativo NÃO existe!

 

Escrito por: Priscila Sobral

Líder de Projetos – AD&M Consultoria Empresarial

REFERÊNCIAS:

LUHMANN, Niklas. A improbabilidade da comunicação: teoria dos sistemas, teoria evolucionista e teoria da comunicação. Seleção e apresentação de João Pissarra. Belo Horizonte – MG: Editora Vega Limitada, 1971

MCLUHAN, Marshal. Os meios de comunicação como extensões do homem. Editora Cultrix, 1979.

Categorias
Geral

7 dicas para você ser mais produtivo no trabalho

A produtividade pode ser uma batalha para muitas pessoas e para muitas equipes. A questão é: como evitar ter aquela sensação de não ter feito todas as coisas que precisam ser concluídas? A resposta varia para cada indivíduo, mas selecionamos abaixo 7 dicas que com certeza podem ajudar você ou sua equipe a alcançar uma produtividade maior.

 

1 – Planeje suas tarefas:

É muito importante que as tarefas sejam organizadas e destrinchadas, considerando as atividades a serem feitas e os compromissos essenciais. Dessa maneira, você será capaz de definir quais são as atividades que vão demandar mais esforços e consequentemente mais tempo, conseguindo priorizar tudo aquilo que deve ser realizado.

Com isso, você deve definir quais atividades farão parte do seu dia e quais os prazos para cada entrega, sempre se atentando ao que pode ser feito para potencializar os resultados de seus esforços.

2 – Otimize a sua lista de tarefas:

Após definir as suas principais atividades e os seus principais compromissos, organize tudo isso em uma plataforma física ou virtual, ou seja, agendas, anotações, papéis ou aplicativos que facilitem a visualização das atividades. Como agendas, bloco de notas, calendários, notas autoadesivas ou então aplicativos.

É muito importante que você possa enxergar tudo o que fez durante o dia ou que ainda fará, para comemorar as “pequenas vitórias” e se motivar para as atividades que restam.

3 – Crie metas possíveis:

Já criou uma meta e não conseguiu atingir a tempo? Ou então planejou um tempo para uma atividade e para cumpri-la gastou muito mais? Isso é muito comum.

Para evitar isso, é necessário que você e sua equipe sejam sinceros e não subestimem a tarefa a ser desempenhada. Analise todos os recursos necessários e o tempo para estudo, observe os processos dessa atividade e dessa forma, crie metas possíveis e atingíveis para a realização da tarefa. Realizando esse passo a passo você estará mais preparado para desempenhar a atividade e evitará frustrações.

Como observado, essa dica está muito relacionada com a primeira, na qual se destaca a importância do planejamento para o desempenho efetivo das atividades, com isso é reforçado que você observe a tarefa e aja de maneira que seja capaz de concluí-la da melhor maneira possível, dentro dos prazos estipulados.

4 – Controle o seu tempo:

O tempo é um recurso muito precioso, sendo assim é importante avaliar como investí-lo de maneira eficiente.. Controlar o tempo não significa apenas que você vai dividir o seu dia em atividades, significa também que você está estipulando metas para a execução de cada tarefa e que a execução de cada tarefa será essencial para a execução da próxima e assim sucessivamente, garantindo no final do dia que a sensação questionada acima não se repita e que você ou sua equipe alcançaram ou ultrapassaram todas as atividades necessárias para entregar resultados individuais e coletivos, para empresa ou para outro fim.

Uma dica para isso é a utilização de despertadores que apitam quando o tempo se esgota, à primeira vista pode parecer uma medida muito drástica ou até mesmo incômoda, mas a mensuração do tempo é essencial para que todas as atividades e compromissos sejam cumpridos com êxito. Ninguém gosta de investir uma grande quantidade de tempo em uma tarefa ou em uma reunião e ao final do prazo ver que não houve nenhuma mudança ou avanço, não é mesmo?

Um método muito conhecido para o gerenciamento de tempo é o método POMODORO, onde você marca meia hora, salvo exceções, para a realização de uma tarefa importante e nesse tempo você ou sua equipe devem focar todos os esforços e atenção somente para aquela tarefa. Ao término do tempo, você deve fazer um intervalo de cerca de 5 a 10 minutos distante do seu posto de trabalho, realizando pequenas pausas estratégicas e sem se dedicar a outras tarefas que demandem muito esforço mental, ou seja, o objetivo das pausas são descansos mentais.

Uma outra técnica interessante é a regra dos 10 minutos, se uma atividade é muito simples e demanda menos de 10 minutos para ser executada, faça no momento que recebê-la ou o mais rápido possível, dessa forma, você será capaz de cumprir um número maior de tarefas e evitar o acúmulo de afazeres.

5 – Organize intervalos:

Muitas vezes o foco na atividade impede que os executores descansem ou tirem pausas, isso não é indicado. É claro que o foco no resultado é essencial para o sucesso da entrega. Todavia, muitas horas de dedicação seguidas para uma atividade pode levar um profissional ao esgotamento físico e/ou mental, que pode impedir a conclusão de atividades importantes com a qualidade necessária ou no tempo necessário e além disso, pode interferir na execução de outras tarefas e gerar cansaço para o seguimento da rotina de trabalho.

Com isso, é importante realizar pausas e ter momentos de descanso, que por sua vez podem auxiliar o indivíduo na realização eficiente das atividades atuais e posteriores. As pausas referem-se a intervalos, ou seja, momentos curtos onde você pode ir ao banheiro, comer algo ou realizar alguma outra tarefa de interesse. Os descansos referem-se a momentos longos de pausa, essenciais para o sono e a absorção dos conhecimentos gerados durante o dia, que podem auxiliar na motivação e na disposição para o dia seguinte.

6 – Fique atento à distrações:

Esse é um ponto muito importante! Muitas vezes percebemos que a qualidade do trabalho e do foco é influenciada pela grande quantidade de distrações que enfrentamos no dia a dia. Facebook, WhatsApp, E-mail, Instagram, Telefone, conversas e diversas outras distrações ceifam constantemente o foco na tarefa a ser executada. É importante então a consciência sobre o atingimentos de prazos estipulados e qualidade esperadas. Esse é um fator muito individual, cabe então a reflexão sobre as atividades e como elas vão impactar em algum outro resultado ou indicador pessoal ou organizacional.

Estar consciente sobre a importância da entrega é relativamente simples, entretanto, atuar efetivamente para a realização da tarefa é um objetivo que pode demandar um pouco mais de atenção.

Procure fugir das distrações do dia a dia e se programe para isso, use seus intervalos para checar as redes sociais e se distrair, ou seja, crie e planeje um momento para cada coisa, priorizando sempre o seu trabalho, sem deixar de lado seus momentos de distração e descanso.

7 – Observe seus resultados:

Essa é a última dica e uma das mais importantes. Observar os resultados é essencial para você verificar se as dicas anteriores estão sendo aplicadas eficientemente, além disso, verificar se seus prazos estão sendo atingidos e sua qualidade alta possibilita mensurar em quais os contextos você e sua equipe é mais produtiva, permitindo assim uma replicação de comportamentos. Você e sua equipe são mais produtivos pela manhã, tarde ou noite? Você e sua equipe produzem mais em um ambiente tranquilo ou agitado? Você produz mais sozinho ou em grupo?

É muito necessário conhecer esses dados, pois assim, você poderá criar rotinas de trabalho e otimizar sempre o seu dia, aumentando a sua produtividade e realizando a suas atividades da maneira mais eficiente possível, evitando assim desperdício de tempo e desgaste pessoal.

 

 

Como vimos, ser produtivo pode ser um grande desafio, mas como qualquer outro desafio é possível vencê-lo. Se atente às nossas dicas e crie os seus padrões de trabalho, eles te ajudarão a ser um profissional cada vez mais organizado e capaz de entregar tudo o que se propõe, mesmo que um resultado individual ou uma tarefa para uma empresa.

8-11-blog 7 dicas para você ser mais produtivo no trabalho

Criado por: Evandro Garcia

Líder de Projetos – AD&M Consultoria Empresarial

Referências: Endeavor Brasil, Fundação Universia e Revista PEGN