Tem bloqueios criativos? Quer mais criatividade na sua empresa? Descubra como ter uma “tempestade de ideias”!

Convivemos em um ambiente organizacional muito competitivo, com grandes necessidades de inovação e entrega de resultados que sejam “fora da caixa”. Esses processos geralmente demandam uma grande dedicação ao estudo e ideação da melhor alternativa para o problema apresentado, não é mesmo?

Você já deve ter pesquisado técnicas para se tornar mais criativo no seu dia a dia, tanto para o aspecto pessoal quanto para o profissional. Se você fez isso, com certeza já deve ter ouvido falar no brainstorming!

O brainstorming consiste em um conceito de “tempestade de ideias”, é uma técnica muito usada em marketing, gestão e design. Com essa ferramenta a equipe ou o indivíduo terá mais liberdade para a criação e levantamento de ideias, com o objetivo de conseguir a maior quantidade possível, seguido de uma filtragem aplicada ao contexto do problema enfrentado. Partindo do princípio central de que focar esforços em uma grande quantidade de ideias e realizar uma filtragem posterior pode ser mais proveitoso do que focar em apenas uma ideia central.

Pois bem, para que o brainstorming seja mais efetivo e ocorra da maneira ideal é interessante que a equipe de trabalho  siga um conjunto de 7 regras essenciais. São elas:

1- Uma conversa por vez:

É necessário ouvir, uma conversa por vez. Isso significa que todos participantes terão um momento de fala e os demais devem escutá-lo, sem interrupções ou preconceitos, buscando compreender as aplicações das ideias e dos pontos levantados por ele, sem julgamentos. Nesse ponto os colaboradores têm um espaço livre e seguro para explanar as ideias que acharem adequadas.

2- Quantidade importa:

Como foi comentado anteriormente, a chave para o brainstorming consiste em ter várias ideias e posteriormente ir filtrando o que é mais indicado e efetivo para o contexto do problema. O filtro deve vir ao final de todo o processo, considerando as limitações que a empresa poderá ter com relação à ideia apresentada. Nesse ponto devem ser levantado o maior número de ideias possíveis, focando primeiro na quantidade de ideias e depois na qualidade.

3- Construa ideias sobre as ideias dos outros:

Essa regra é mais uma forma de aprimorar as ideias já levantadas anteriormente, ou seja, com base em uma ideia já apresentada há incrementações à ela, com o objetivo de torná-la mais estruturada, viável e efetiva para a resolução do problema enfrentado em determinado momento. É uma excelente oportunidade para melhorar o senso de trabalho em equipe dentro da organização para potencializar a aplicabilidade de uma ideia.

4- Encoraje ideias ousadas

Esse princípio é um convite para que a equipe de trabalho se junte para buscar soluções que fujam ao comum e atinjam o “lado externo da caixa”. Representa um grande desafio para diversas organizações, pois é difícil pensar em coisas alheias a realidade ou ao contexto inserido, mas permite a discussão de ideias que sejam disruptivas e que podem trazer novidades para a organização. Tendo como desejo central a defesa à criatividade e a espontaneidade, para alcançar resultados diferentes do esperado e do habitual. Esse ponto também deve ser marcado por grande quantidade de ideias, sem julgamentos.

5- Seja visual

Para que a grande quantidade de ideias se tornem mais tangíveis e nenhum ponto apresentado se perca, é importante haver registros do que está sendo produzido, de preferência da maneira mais visual possível. Há diversos materiais que podem ser utilizados, por exemplo: papéis e canetas, preferencialmente coloridos, notas autoadesivas, quadros, lápis de colorir e muitas outras, que ajudem a estimular a criatividade dos participantes. É interessante também que nesse ponto a equipe mexa com formas, texturas e tamanhos, possibilitando assim o acesso a outros materiais para a produção de conhecimento.

6- Mantenha o foco

As ideias devem ser o mais criativas possível e em grande quantidade, todavia, é importante que haja uma atenção para não fugir do tema proposto, pois assim, os participantes podem se concentrar no assunto central da proposta, garantindo que as necessidades para o ponto levantado sejam atendidas, considerando todos os aspectos dela.

7- Não faça críticas

Sem julgamentos é um dos pilares do brainstorming, como apontados em praticamente em todas as regras anteriores. Essa regra é essencial e garante que nenhum participante terá as suas ideias desvalorizadas, pois essa desvalorização gera um sentimento de insegurança, exclusão e desimportância. Julgar faz com que o colaborador se acanhe e com isso deixe de apresentar as suas ideias, podendo ocasionar em uma perda para a organização, uma vez que, caso o colaborador participe menos, haverá uma quantidade menor de ideias apresentadas e consequentemente menor será a chance de resolução de problemas ou alcance de ações diferentes.

Agora que você já sabe o que é essencial para realizar um brainstorming, que tal se reunir com os colaboradores ou juntar as equipes de trabalho e discutir sobre a situação da empresa e os objetivos para o curto, médio e/ou longo prazo?

Refletir sobre um problema ou conversar sobre uma ideia inovadora?

Lembre-se da oportunidade de conquistar mais resultados para a sua organização por meio de ideias presentes na sua equipe!

imagem-final-post-ev Tem bloqueios criativos? Quer mais criatividade na sua empresa? Descubra como ter uma “tempestade de ideias”!

Referências: Talk de processos criativos – Grupo Look’n Feel 

Texto criado por: Evandro Garcia

Consultor de projetos – AD&M Consultoria Empresarial

Gostou do nosso post? Então compartilha com seus amigos:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Assine nossa newsletter e receba os melhores conteúdos sobre gestão empresarial

Preencha os seus dados no formulário abaixo e fique por dentro das tendências e novidades de gestão empresarial: